quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Saúde e consciência


A fim de que a pessoa adquira ou preserve a saúde é necessária a conscientização de si mesmo, da sua maneira de ser.
Normalmente, por hábito vicioso, prefere e aceita os estados negativos e alterados de comportamento com os quais a consciência anseia, abrindo espaço para as doenças.
Permite-se, desse modo, a raiva, o ciúme, a queixa, a ansiedade, e tomba em depressões injustificáveis que são as portas de acesso a enfermidades variadas.
Os sinais de alarme em torno da situação surgem quando você deseja:
pedir desculpas por uma reação infeliz e não consegue fazê-lo;
recomeçar uma tarefa que a ira interrompeu e sente dificuldade;
abraçar alguém inamistoso e se vê impedido;
discutir um assunto desagradável e é tomado por um silêncio constrangedor;
quando você deseja iniciar uma conversação e se sente incapaz ou desinteressado.
Há sinais de alarme quando você permanecer acordado remoendo um problema inquietante;
continuar ansioso, mesmo quando não há uma razão plausível;
não conseguir dirigir palavras gentis a uma pessoa querida;
sentir-se trêmulo ou deprimido, diante de alguém que lhe parece superior;
considerar-se diminuído no meio social no qual se movimenta.
Esses estados e outros mais, caracterizam estados predisponentes às doenças.
A aceitação dessas circunstâncias significa que a pessoa prefere a infelicidade à harmonia.
Cultivando esses estados, bloqueia-se a consciência, que se entorpece, voltando a um estágio inferior, à sensação que ainda lhe predomina no processo evolutivo.
Toda pessoa é livre para escolher entre a saúde ou a doença. Cabe à consciência agir com liberdade profunda, isto é, a opção de ser feliz.
Comece por se desfazer dos padrões mentais negativos, condicionados à aceitação dos comportamentos doentios.
O treinamento de novas maneiras de pensar, baseados na ordem, no bem geral, na superação das próprias possibilidades, criará automatismos e reflexos que trabalharão pela sua harmonia e saúde.
É necessário assumir o controle de si mesmo, o que equivale dizer, à conscientização, esse estágio superior no qual a emoção conduz a sensação.
Infinitas mensagens são dirigidas da mente ao corpo, produzindo hábitos que se enraizarão, substituindo aqueles que geram desarmonia e doença.
Pode parecer difícil sair de uma situação desgastante para outra agradável. E é, realmente.
No entanto, toda aprendizagem exige a repetição da experiência até a sua fixação em definitivo.
Do mesmo modo, a aquisição de valores e padrões de felicidade vai além do simples querer, para adentrar os caminhos do conseguir.
*   *   *
A tecnologia deu seu mais expressivo salto quando três jovens cientistas americanos descobriram o transistor, miniaturizando peças e equipamentos que aceleram o progresso da civilização.
Não medir esforços para a aquisição da saúde, mediante a consciência do dever para consigo mesmo, é o desafio a enfrentar e vencer, através das pequenas peças do sacrifício, perseverança e do trabalho.
Com esse esforço você irá desfrutar de consciência, saúde e paz.
Pense nisso!

Redação do Momento Espírita, com base no cap. 5, do livro Momentos de consciência, pelo Espírito  Joanna de Ângelis, psicografia de Divaldo Pereira Franco, ed. Leal.
Em 22.08.2011.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

A apresentação está falhando?

Entre no "www.gmail.com" e feche o usuário aberto.

Divulgue este blog (cartão virtual)

Divulgue este blog (cartão virtual)
Clique com o botão direito do mouse, copie a imagem, cole em uma nova mensagem e envie para seus colegas! caso falhe, procure salvar a imagem e depois enviar como anexo.