sexta-feira, 25 de setembro de 2015

Voz que me dirige os passos


    Ainda bem que no mundo existem os poetas...

        São eles e seus versos encantados que nos ensinam enxergar um fato comum, por vezes banal em aparência, de uma forma nunca antes imaginada por nós.

        São eles, principalmente os poetas do bem que, ao tratarem de questões graves da vida, nos ensinam a ter esperança.

        Assim, deleitemos-nos com Gonçalves Dias - eminente poeta brasileiro - e sua bela visão sobre Deus e as dores do mundo:
        Por que então maldiremos este mundo
        E a vida que vivemos,
        Se nos tornamos do Senhor mais dignos,
        Quando mais dor sofremos?
        Quantos cabelos temos, Ele o sabe;
        Ele pode contar
        As folhas que há no bosque, os grãos d´areia
        Que sustentam o mar.
        Como pois não será Ele conosco
        No dia da aflição?
        Como não há de computar as dores
        Do nosso coração?
        Como há de ver-nos, sem piedade, o rosto
        Coberto d´amargura;
        Ele, Senhor e Pai, conforto e guia
        Da humana criatura?
        Se o vento sopra, se se move a Terra,
        Se iroso o mar flutua;
        Se o sol rutila, se as estrelas brilham,
        Se gira a branca lua;
        Deus o quis, Deus que mede a intensidade
        Da dor e da alegria,
        Que cada ser comporta – num momento
        D´arroubo ou d´agonia!
        Embora pois a nossa vida corra
        Alheia da ventura!
        Além da terra há céus, e Deus protege
        A toda criatura!
        Viajor perdido na floresta à noite,
        Assim vago na vida;
        Mas sinto a voz que me dirige os passos
        E a luz que me convida.
* * *
        O maior poeta que já esteve na face do orbe terrestre – inspirador de outros tantos poetas do bem que O seguiriam neste planeta – certa feita proclamou:

        Bem-aventurados os que choram, pois que serão consolados.

        Ora, quem há de oferecer consolo a tantas lágrimas que são vertidas a cada segundo na Terra?

        De onde vem tal consolo, senão do Criador, de Suas leis perfeitas e de Seu amor maior por Suas criaturas?

         É a voz que nos dirige os passos... Sempre presente.
Redação do Momento Espírita com base na poesia Espera!
de Gonçalves Dias, do livro Poemas,
ed. Ediouro. Em 29.09.2008




Nenhum comentário:

Postar um comentário

A apresentação está falhando?

Entre no "www.gmail.com" e feche o usuário aberto.

Divulgue este blog (cartão virtual)

Divulgue este blog (cartão virtual)
Clique com o botão direito do mouse, copie a imagem, cole em uma nova mensagem e envie para seus colegas! caso falhe, procure salvar a imagem e depois enviar como anexo.