quarta-feira, 25 de junho de 2014

Quanto vale um amigo


Uma árvore, dizem, não fica de costas para ninguém.
Por mais que se dê a volta em torno dela, ela sempre estará de frente para a pessoa.
Os verdadeiros amigos também...
Quando as dificuldades surgem, quando a calúnia chega, quando todos apontam erros, o amigo permanece ao lado.
Não concorda com o erro, mas está pronto a auxiliar o amigo que se equivocou, deixou-se envolver pela paixão, permitiu-se um deslize.
Dizem os chineses que árvore plantada com amor, nenhum vento derruba.
Uma verdadeira amizade, também. Nada a perturba. Atravessa o oceano da intriga, a salvo.
Antes de julgar o amigo, recorda a quanto tempo o conhece, o que tem recebido dele, todas as suas ações ao longo desse tempo.
Quem planta árvores, cria raízes. Quem cultiva bons amigos, também!
Pode-se mudar de cidade, estado ou país. Os amigos serão sempre as raízes que nos manterão ligados.
Mesmo à distância, enquanto sopram os ventos da adversidade, as raízes da amizade propiciarão fortaleza para os embates.
O pensamento, um telefonema, uma carta, um bilhete. Tudo é motivo de fortalecimento da amizade.
As árvores, como os amigos, produzem beleza para os olhos e os ouvidos, na mudança sutil de suas cores.
Passa o tempo. Dobram-se os anos. Os cabelos ficam nevados. A pele já não apresenta mais o frescor da juventude.
As mãos demonstram a ação dos anos sobre anos.
O amigo permanece fiel.
Ouve as confidências do coração, participa das suas dores. Sob pretexto algum, no presente ou no futuro, revelará o que um coração a outro segredou, em momento de total confiança.
A árvore é sombra protetora, como os amigos. Sombra que varia com o dia, que avança e faz variados rendados de luz semelhantes a estrelas.
Na juventude, a amizade é arrebatada e quase sempre está ligada à defesa de ideais semelhantes.
Na madureza, ela se solidifica. Na velhice, ela se apresenta mais sólida do que nunca, nutrida, ao longo dos anos, pelas tantas demonstrações de atenção, afeto e companheirismo.
As árvores são sinônimo de eternidade... E uma verdadeira amizade também é para sempre!
E quando se fala para sempre, transcende-se a morte. Verdadeiros amigos se tornam, quando partem antes, conselheiros ou protetores dos que permanecem no corpo.
Visitam-nos, durante o sono, traduzindo-se a lembrança como um sonho bom com quem nos antecedeu a entrada na pátria do Espírito.
Quem transita no mundo, tendo ao seu lado o calor de uma amizade, anda com maior segurança. Sabe que, se errar, o amigo lhe apontará o erro.
Se cair em desgraça financeira, sempre terá quem o auxilie na busca de novos empreendimentos, e o socorra nas carências maiores.
Quem tem um amigo pode-se considerar aquinhoado com tesouro inigualável.
*   *   *
Nunca te canses de ser amigo.
É possível que, por vezes, algumas atitudes te desencorajem a prosseguir na estrada dessa ou daquela amizade.
Pensa, no entanto, que a amizade é como precioso diamante cuja essência brilhante necessita de lapidação para mostrar todo seu valor.
Persiste no sentimento.
Insiste na excelência da amizade sem limite e descobrirás que aquele a quem devotas amizade, te devolverá em bênçãos tudo quanto lhe ofertastes, nos dias de sandice, necessidade e carência.
Sê, portanto, amigo sempre!

Redação do Momento Espírita, com base em texto que circula pela Internet,  atribuído a Tito Von Saltiel.
Em 11.03.2011.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

A apresentação está falhando?

Entre no "www.gmail.com" e feche o usuário aberto.

Divulgue este blog (cartão virtual)

Divulgue este blog (cartão virtual)
Clique com o botão direito do mouse, copie a imagem, cole em uma nova mensagem e envie para seus colegas! caso falhe, procure salvar a imagem e depois enviar como anexo.