quarta-feira, 26 de março de 2014

Por um mundo renovado


Uma atenta análise da História da Humanidade revela um avançar contínuo.
Sob os mais diferentes aspectos, gradualmente há avanços.
Esse processo não é uniforme em todos os povos.
Aliás, em um mesmo povo as virtudes se consolidam com vagar e em ritmos distintos.
Assim, o conjunto de certa nação apresenta tendência à ordem e ao trabalho, mas se conserva intolerante.
Outra possui a tolerância mais desenvolvida, mas tropeça no quesito honestidade.
O primordial é que, pouco a pouco, os costumes se purificam.
Alguns hábitos lamentáveis do passado lentamente perdem a força e se afiguram odiosos, como o racismo.
Contudo, a evolução não se processa sem algum esforço.
Cada nova idéia teve seus ardorosos defensores, que lutaram contra a inércia geral.
No princípio, a batalha pela renovação sempre parece difícil, talvez até impossível.
Contudo, o progresso é uma lei universal.
Idéias e hábitos mais puros podem demorar a empolgar, mas com o tempo eles se efetivam.
Os pioneiros da luta muitas vezes desencarnam antes de ver o resultado de seus esforços.
Como a reencarnação também é uma lei da vida, eles ressurgem no corpo e desfrutam do novo clima cujo desabrochar propiciaram.
Com essa realidade em mente, convém refletir sobre a sociedade atual.
São comuns os brados contra a violência, a corrupção e os costumes desregrados.
Ocorre que não basta indignar-se.
O mundo não se renovará por si.
Os homens são os artífices do amanhã, qualquer que seja ele.
Para que o futuro seja venturoso, importa trabalhar arduamente em seu favor.
Os meios para isso são os mais variados.
Mas a reforma mais difícil sempre é a do próprio proceder.
Embora difícil, ela é imprescindível.
Fazer o que se critica nos outros é pura hipocrisia.
Quem condena desonestidades de políticos tem o dever indeclinável de ser rigorosamente honesto em seus atos.
O homem que abomina o preconceito não pode praticá-lo.
Aquele que questiona a falta de ética do próximo precisa cumprir com rigor todos os seus deveres.
Após a retificação da própria vida, surge a necessidade de auxiliar na transformação do coletivo.
Evidentemente, uma vida digna é sempre a melhor lição.
Mas as conversações dignas, a educação dos ignorantes e os serviços sociais são importantes meios de auxiliar o surgimento de um amanhã melhor.
Lembre-se de que hoje você vive no mundo que ajudou a construir em suas existências pretéritas.
Assim, não gaste tempo em reclamações.
Apenas trabalhe pelo surgimento de um mundo mais honesto, justo e fraterno.
Assim agindo, chegará o dia em que você terá a ventura de viver na sociedade dos seus sonhos.
Redação do Momento Espírita.
Em 27.04.2009.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

A apresentação está falhando?

Entre no "www.gmail.com" e feche o usuário aberto.

Divulgue este blog (cartão virtual)

Divulgue este blog (cartão virtual)
Clique com o botão direito do mouse, copie a imagem, cole em uma nova mensagem e envie para seus colegas! caso falhe, procure salvar a imagem e depois enviar como anexo.